Pular para o conteúdo principal

ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA (Parte 02)


INTRODUÇÃO: Os problemas relacionados com a missão da igreja na cidade exigem uma missiologia urbana. É imprescindível os cristãos tomarem consciência da realidade das cidades e seus desafios. Considerar os fatos bíblicos e os princípios neles presentes, relacionados com missões urbanas é de fundamental importância para a evangelização das cidades. Apreciar os métodos de missões urbanas, hoje adotados, com base nos princípios e modelos bíblicos é dever da igreja que almeja alcançar sua cidade para Cristo. Vejamos algumas estratégias de evangelização urbana: 

CULTOS AO AR LIVRE: Devem-se fazer uma boa divulgação do culto. Devem-se cantar hinos de fácil assimilação. A pregação deve mostrar claramente o plano de salvação em Jesus Cristo. Devem-se cadastrar os visitantes para efetuar uma futura visita ou enviar cartas ou literatura pelos Correios. E distribuir folhetos evangelísticos aos visitantes com a programação dos cultos e o endereço da igreja para um eficiente discipulado. 

EQUIPES DE VISITAÇÃO AOS LARES: Tem por objetivo visitar os crentes faltosos, doentes, visitantes, novos convertidos, etc. Na visita deve-se levar material de apoio: Bíblias, folhetos, livretos, etc. Razões da visitação: encorajamento (1Ts 5.11,14), admoestação (Cl 1.28; 3.16), repreensão aos desatentos (2Tm 3.16,17) e instrução na sã doutrina (2Tm 4.2). 

CADASTRO DE VISITANTES, NOVOS CONVERTIDOS E INTERESSADOS: “Respondeu-lhe o senhor: Sai pelos caminhos e atalhos e obriga a todos a entrar, para que fique cheia a minha casa” (Lc 14.23). A igreja deve imprimir as fichas para cadastro. A partir daí, em todas as reuniões no templo, nas casas, ao ar livre, etc., equipes de irmãos bem treinados e orientados colherão os nomes dos visitantes, novos convertidos e interessados para futuros contatos. 

PLANTAÇÃO DE IGREJAS: O crescimento das igrejas também acontece quando são iniciados pontos de pregação. Quantas igrejas têm expandido seu trabalho abrindo pontos de pregação em bairros onde residem vários membros ou às vezes apenas uma família, usando como local uma área simples, porém adequada. 

CONCLUSÃO: Portanto, a atividade missionária da igreja deve principiar sempre pelas ruas da sua própria cidade. Assim, o ensaio de elaboração de um projeto de missões urbanas, visando à evangelização das cidades é um grande desafio que cada igreja local deve aceitar. A palavra de Cristo à igreja não é uma opção e nem deve ser objeto de discussão. É uma ordem. É a filosofia de vida da igreja. Missões urbanas é tarefa da igreja. Lembrando que todo trabalho missionário urbano só terá valor se houver uma preocupação séria com o discipulado. Acompanhem nas próximas edições outras estratégias de missões urbanas. 

Nos laços do Calvário que nos une, 
Pr. Luciano Paes Landim.

Comentários

  1. fazer todo esse trabalho demanda orientação e treinamento por parte das lideranças, e estas muitas vezes estão ocupadas demais para ensinar a igreja a evangelizar fora do templo. é tempo de sair e colocar o povo de Deus na rua, para ir onde os perdidos estão, pois se esperarmos eles irem até a igreja, é tempo perdido. muito boa esta palavra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é obvio que os lideres das Igrejas encaram com seriedade os desafios da Igreja na vertente missionaria. nos devemos ir ao encontro das almas perdidas e preocupar-se nao so na salvaçao espiritual destes, mas também social e fisiologica.
      por que a Salvaçao que Cristo nos dâ, nao se limite na vertente espiritual.

      Excluir
    2. A evangelização e a ação social são os dois lados da mesma moeda. O papel da igreja é adorar a Deus, proclamar o evangelho e repartir o pão. O evangelho é integral. Cristo salva a alma e o corpo. Afinal, naquele Grande Dia o corpo dos mortos em Cristo será ressuscitado em um corpo de glória. Ou seja, a salvação é integral: alma e corpo. Portanto, a igreja deve encarar com seriedade e fidelidade a tarefa evangelística lembrando que o amor é demonstrado com atitudes (ações sociais).

      Excluir
    3. Verdade e na verdade pra ganharmos almas pro reino de Deus e so com Jesus tando conosco pra darmos a palavra certa na hora certa a pessoa certa pq Jesus disse ; Nimguem pode vir a mim se o Pai que mim enviou nao o troxer e eu o ressulcitarei naquele dia

      Excluir
  2. A evangelização e Ação Social, Tiago 2:26 Poque , assim como o corpo sem o espirito está morto, assim também a fé sem obras é morta.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários:

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”