domingo, 22 de abril de 2012

PREGAÇÃO: CONSIDERAÇÕES BÁSICAS


1. A Bíblia é a nossa única regra de fé e prática.

2. Pregar a Palavra de Deus significa, antes de qualquer coisa, comprometer-se com a Palavra infalível.

3. Alguma tentativa de empregar a Bíblia para uma conclusão distinta daquela instituída por Deus é considerada uma forma irresponsável e implicará em fracasso.

4. Um sermão sem o seu fundamento na Bíblia não é um sermão, porém uma mera apresentação.

5. Sem a Bíblia a igreja não é igreja, mas um grêmio social ou localidade de eventos.

6. A exposição poderosa da Bíblia definha-se exatamente quando as melhores ferramentas para auxiliar os mestres da Palavra são de fácil acesso. (Russell Shedd).

7. Os ouvintes estão saindo dos cultos da mesma forma que entraram. Tudo isto é consequência do empobrecimento espiritual no púlpito moderno.

8. O pregador nunca deve enfeitar ou distorcer o Texto Sagrado.

9. Só é possível pastorear ensinando a Palavra de Deus. “Pastor-mestre” significa que o pastor ensina ou que o mestre pastoreia (Ef 4.11).

10. Pregar o Evangelho sem a obra do Espírito Santo de nada adiantará.

11. A legítima finalidade da pregação é expor fielmente a Palavra de Deus de forma vitalizada pelo Espírito Santo onde o pecado é atacado pela raiz.

12. O que faz com que cristãos sejam derrotados facilmente é a pregação que não tem a Bíblia como fundamento.

13. Pregações que não têm Jesus como a sua preocupação central não transforma vidas.

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários: